Pastor ameaça revisar decisão sobre queima do Alcorão

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Terry Jones havia anunciado sua decisão de suspender a queima do Alcorão



O pastor Terry Jones ameaçou nesta quinta-feira "reconsiderar" sua decisão de cancelar a queima de exemplares do Alcorão, anunciada para o próximo sábado, por ocasião do nono aniversário dos atentados do 11 de Setembro.

"Poderemos ser obrigados a revisar nossa decisão", declarou Terry Jones, líder da Dove World Outreach, uma pequena igreja evangélica da Flórida.

O pastor havia anunciado mais cedo, na quinta, sua decisão de suspender a queima dos livros sagrados, como resultado de um acordo com um imã para a mudança do local da construção de uma mesquita prevista para a região do 'Marco Zero', em Nova York.

Mas um porta-voz do imã Feisal Abdul Rauf, clérigo moderado por trás do projeto de 100 milhões de dólares do Centro Cultural Islâmico de Nova York, imediatamente negou qualquer acordo com Terry Jones.

"Não sabemos nada sobre isto", disse à AFP Daisy Khan, uma das principais promotoras do centro cultural islâmico e mulher de Abdul Rauf.

Segundo o pastor Jones, o acordo sobre a mudança do local da mesquita foi obtido com um imã da cidade de Orlando, Mohammed Musri, que atuou como mediador da questão.

Terry Jones afirmou ainda que Musri marcou um encontro entre ele e o imã Abdul Rauf no próximo sábado, em Nova York, para discutir a questão.

"Agora há uma suspensão provisória do evento planejado, porque neste momento estamos verdadeiramente decepcionados e chocados. Se isto é certo, ele (Musri) mentiu muito claramente".

Diante do desmentido de Abdul Rauf, "somos obrigados a reconsiderar nossa decisão, porque ela era baseada em sua palavra. Entendo que agora estão recuando e dizendo que não é nada disto".

Fonte: CPADNEWS

´Queima de Alcorão pode colocar a vida de cristãos em perigo`

Segundo Missão Portas Abertas, cristãos inocentes estarão extremamente vulneráveis



A Igreja em Gainesville, Florida (EUA) decidiu ir adiante com seu plano de queimar exemplares do Alcorão no dia 11 setembro, apesar de várias advertências.

Apelos para cessar o que poderia ser visto como um ato de blasfêmia contra os muçulmanos ao redor do mundo foram ignorados pelo pastor Terry Jones. Protestos em países como a Indonésia e o Paquistão foram ignorados. Todas as tentativas da Missão Portas Abertas nos E.U.A. para manter contato com Jones e com a Igreja foram em vão.

Relatórios indicam que o general David Patraeus, chefe da Força Multinacional no Afeganistão, pediu que a igreja desita da ideia para o bem das tropas americanas no Afeganistão. Patraeus diz que as tropas estarão em perigo de ataques de muçulmanos, se for visto americanos queimando seu livro sagrado.

Carl Moeller, do Portas Abertas nos EUA, diz que o problema é ainda maior do que isso. Não só os soldados estão em risco de ataque, mas os cristãos inocentes em todo o Oriente Médio estarão extremamente vulneráveis. "Os soldados estão preparados para o conflito, no entanto, as congregações cristãs nestes mesmos países estão totalmente despreparadas para a violência", disse Moeller.

Moeller disse ainda que, no passado, atitudes anti-muçulmanas puseram os cristãos em perigo nos países dominados pelos muçulmanos. “Por exemplo, após um desenho animado dinamarquês que zombava da cultura muçulmana, muitos cristãos sofreram violência como um resultado. É o que podemos esperar se esse plano for adiante”.

"Quando a Al Jazeera ou outra rede de televisão muçulmana começar a mostrar as imagens de um Alcorão sendo queimado por uma igreja americana, independentemente de quão pequena seja, o cristianismo será retratado no mundo muçulmano como cristãos americanos queimando o livro sagrado do Islã", explica Moeller.

"Milhões de lares cristãos e seus meios de subsistência estão em perigo por causa das ações desta pequena igreja, em Gainesville, Florida".

Jones defendeu a sí mesmo e a Igreja com os direitos de primeira emenda, mas Moeller afirma que "a questão da liberdade de expressão não se aplica. Não se pode gritar "Fogo!" em um teatro lotado”, compara.

Moeller diz que Jones e sua igreja se recusam a ver mais do que a eles próprios. ”Isso vai provocar algumas consequências muito nefastas para as pessoas que o pastor vai mal - talvez nunca saberá. Somente na eternidade conhecererá".

A ação, segundo Moeller, demonstra que além de não amarem os inimigos, eles estão se recusando a amar os irmãos e irmãs em Cristo que sofrerão as consequências desse ato. "Os seguidores de Jesus não agem dessa maneira".

Como a queima Alcorão está programada para daqui a dois dias, instituições cristãs pedem oração para que a igreja cesse suas ações. Moeller disse que será preciso estar lado a lado com os irmãos e irmãs fiéis no Oriente Médio, caso eles venham a sofrer as conseqüências das ações dessa igreja.

“Ore para que o testemunho de Cristo continue forte, apesar disso. E para que os muçulmanos que estão perto de chegar a aceitar Jesus não vejam este ato e afastem-se do único que pode salvá-los verdadeiramente”, finaliza.

Saiba mais no artigo do pastor Silas Daniel: "Terry Jones não tem absolutamente nada a ver com os evangélicos conservadores dos Estados Unidos"

Fonte:CPADNEWS

Cristãos na Síria estão cautelosos após fechamento de igreja

Eles pedem oração para que o governo sírio demonstre mais tolerância para o estabelecimento de igrejas evangélicas



Enquanto a minoria cristã da Síria é geralmente respeitada, as conversões do Islã ao cristianismo são raras. Relatórios do Ministério Voz dos Mártires afirmam que evangelizar é legal, mas não são concedidos vistos para o trabalho missionário. E quando há liberdade de culto, qualquer atividade que poderia ameaçar a harmonia comunitária é suspeita, o que dificulta a difusão do Evangelho.

Apesar dos desafios, o alcance global no Oriente Médio e Norte da África começou em 2008. A equipe que trabalha na área se concentra suprindo as necessidades físicas e emocionais, bem como as necessidades espirituais de um indivíduo.

Eles têm trabalhado em conjunto com as igrejas, os parceiros nacionais e colaborando com outras organizações, a fim de alcançar os sírios, com a esperança de Cristo.

Em junho, o governo da Síria fechou as portas da igreja evangélica. O grupo ainda está esperando para se encontrar para adoração e estudo da Bíblia, mas eles estão orando por sabedoria e discernimento sobre como fazer isso e ainda permanecer dentro da lei.

Eles pedem oração para que o governo sírio demonstre mais tolerância para o estabelecimento de igrejas evangélicas. Ore para que os cristãos sejam capazes de chegar até a população muçulmana na Síria. E para que eles se convertam ao cristianismo e seja um forte testemunho de sua família, amigos e vizinhos.

Fonte: CPADNEWS

Missionários americanos levam assistência médica e espiritual aos ribeirinhos da Amazônia

Menino morador da região salvo pelos médicos da equipe aceitou a Jesus como seu Salvador




Um garoto de 12 anos estava em sua rotina diária no meio da Floresta Amazônica. Jacó Moraes foi subir em árvores para colher frutos de açaí e ajudar sua família na renda. O menino escorregou e caiu de uma palmeira. Esta queda acentuada poderia ter matado o adolescente, só que Deus tinha algo a realizar na vida dele.

Foi neste mesmo dia que o barco da missão médica do Ministério World Hope Missions, estava retornando de uma viagem missionária de uma semana no rio Amazonas. Alguém ouviu falar sobre o barco do pai de Jacó, que chamava por seu filho. Rai, o capitão do barco, logo foi em direção ao sinal de perigo. O barco chegou em poucos minutos e foi dirigido para a costa, onde o jovem foi encontrado sangrando e com dificuldade respiratória. Ele estava nesta condição desde a manhã e já era à tarde.

Felizmente para Jacó e sua família, havia dois médicos a bordo. Os dois doutores, além de vários enfermeiros, tomaram medidas rápidas para estabilizar Jacó. Uma ambulância chegou, juntamente com as equipes de emergência para o transporte ao hospital mais próximo. Ele foi avaliado e, em seguida, encaminhado para atendimento especializado no hospital de grande porte em Manaus. Na manhã seguinte, Jacó estava sem dor e bem o suficiente para comer. Dentro de poucos dias, ele foi mandado para casa.

Como resultado da crise Jacó e a ajuda de emergência inesperada que ele recebeu do Ministério, o menino aceitou Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador. Ele disse mais tarde ao Dr. Jonathas Moreira, fundador e presidente do Ministério, que ele vai sempre se lembrar daquele dia com gratidão. Jaco nasceu de novo, nas selvas da Amazônia. Ele agora sabe que não importa o que aconteça com, terá a vida eterna com Jesus.

O Ministério World Hope Mission é uma organização sem fins lucrativos que organiza viagens missionárias de curto prazo para a bacia do rio Amazonas no Brasil. Através destas experiências únicas de curto prazo, a esperança se espalha, a cura acontece e o amor de Cristo é compartilhado com os moradores que vivem ao longo das margens do rio. O objetivo da organização é levar os voluntários dispostos a fazer a diferença na vida dessas pessoas.

O objetivo do Ministério é ainda compartilhar as boas novas de Jesus com aqueles que entram em contato com o barco durante a viagem. “Reconhecendo que a verdade do evangelho torna-se real quando as pessoas compartilham o seu amor de uma forma pessoal e concreta, nós fornecemos ajuda necessária em assistência médica e odontológica, bem como a espiritual. As pessoas imediatamente vêm com suas famílias em busca de atenção médica. É difícil imaginar que algumas dessas pessoas podem estar vendo um médico pela primeira vez em sua vida”, afirma Dr. Jonathas Moreira.

Para os voluntários que não têm formação médica, há muitos outros trabalhos a serem feitos. Em cada aldeia, o pessoal não-médico evangeliza de porta em porta, realiza escola de bíblica de férias, organiza jogos de futebol com as crianças ou até mesmo fazem reparos nas casas. Assim, todos podem ser os voluntários, não importa a idade ou formação.

Como aconteceu com o jovem rapaz Jacó Moraes, muitas vidas foram salvas e transformadas por pessoas que decidem ser um missionário de curto prazo na Amazônia. A equipe afirma que as pessoas que não puderem ir pessoalmente, podem auxiliar com orações e doações. Mais informações no site www.amazon mission.org

Fonte: CPADNEWS

Cristãos chineses recebem Bíblias legalmente

Expectativa é distribuir mais de 30 mil Bíblias ainda este ano



A China, que ocupa a 13ª posição dos países que mais perseguem a igreja, tem se mostrado mais acessível ao Evangelho. Tanto que o Ministério Voice of China and Asia, não encontra dificuldades para compartilhar as Boas Novas da Salvação.

O ministério distribui legalmente as Sagradas Escrituras para os irmãos, sem serem incomodados pelo governo, mas isso só foi possível graças a um cadastramento das igrejas.

O presidente do ministério, Jonathan Brooks, diz que a China tem um histórico recente de perseguir os cristãos, mas a situação parece ter mudado. "Aqueles que se inscreveram têm liberdade de culto. Essa é uma oportunidade maravilhosa, pois vamos trabalhar legalmente com a igreja registrada, que está aberta para a difusão do Evangelho", jubila.

A única Bíblia legal na China é impressa pela Amity Press. "Essas Bíblias são mais desejadas porque não têm ligações com o exterior. Ninguém tem que responder ao governo uma possível ligação com o exterior para conseguir uma Bíblia".

As Bíblias são encontradas em 70 pontos de distribuição. De lá, elas vão para 55 mil igrejas registradas.

No entanto, isso não significa que todo cristão chinês tem uma Bíblia. "Aquelas pessoas que moram na zona rural, distantes da cidade, não sabem onde procurá-las. Eles gastam cerca de 4% do rendimento anual para ir à cidade”.

Para ajudar essas pessoas, o ministério está levantando recursos para adquirir as Bíblias. "Estamos comprando Bíblias impressas legalmente para serem doadas. As igrejas farão a distribuição nos pontos pré-definidos”.

A expectativa para este ano é adquirir 30 mil Bíblias e para 2011 50 mil em 2011. Mas o ministério não tem recursos suficientes para comprar as Bíblias. "As pessoas podem comprar Bíblias por US$ 5", diz Brooks.



Fonte: CPADNEWS

Liberto líder de igreja cubana

Pastor Roberto Rodriguez foi autorizado a regressar à sua família e está se recuperando em casa depois de ter sido considerado inocente


Um respeitado líder religioso cubano, que foi inesperadamente preso e julgado no tribunal na semana passada, foi inocentado de todas as acusações depois que seus acusadores deram provas contraditórias contra ele.

De acordo com uma nota de imprensa da Christian Solidarity Worldwide (CSW), o pastor Roberto Rodriguez, 67, foi autorizado a regressar à sua família e está se recuperando em casa depois de ter sido considerado inocente por "comportamento ameaçador".

CSW disse que de acordo com a família Rodriguez, oficiais de segurança do Estado chegaram a sua casa sem aviso em 30 de agosto, forçando Rodriguez a ir com eles.

Conforme a CSW disse, o pastor, com a saúde ruim, era incapaz de tomar a sua medicação e foi forçado a viajar de carona com os dois funcionários de Cardenas a Santa Clara. Eles chegaram à 1h da manhã e, no dia seguinte viajaram para a cidade de Placetas, no centro de Cuba, onde Rodriguez foi julgado em 2 de setembro.

CSW disse que os promotores do Ministério Público recomendaram que seja dada a Rodriguez a sentença de um ano de prisão. No entanto, após o que a CSW chamou de evidências contraditórias dadas por seus acusadores, a família acredita que o tribunal não tinha escolha para considerá-lo culpado. Porém, o tribunal proferiu uma multa ao líder da igreja, por razões ocultas.

CSW disse que as primeiras acusações contra Rodriguez foram ao final de 2008, quando se tornara alvo do governo por liderar uma sanção contra o governo. Neste período seria o julgamento que não se concretizou, porém ele passou os últimos 21 meses em prisão domiciliar.

Enquanto isso, a CSW disse que sua família tem sofrido abuso verbal e físico dos vizinhos, aparentemente agindo com o apoio do governo, além de terem sua casa vandalizada.

CSW comentou que o comportamento dos vizinhos de Rodriguez são consistentes com a estratégia do governo de incentivar "atos de repúdio". É onde os civis são estimulados a perseguir e atacar, por vezes, os cubanos que caíram em conflito com as autoridades, geralmente os ativistas dos direitos humanos ou democracia.

CSW disse que o assédio à família Rodriguez culminou em um ataque físico contra a nora de Rodriguez, que sofreu um aborto e foi hospitalizada.

O chefe executivo da CS, Mervyn Thomas, disse em um comunicado à imprensa: “A CSW congratula-se com a notícia de que o reverendo Rodriguez não foi considerado culpado das acusações contra ele. O tratamento que o reverendo, um líder respeitado em âmbito nacional e pastor de 48 anos, têm sofrido ao longo dos últimos dois anos, simplesmente porque a sua organização têm resistido às tentativas do governo de interferir nos seus assuntos internos, é uma desgraça.”

Ele acrescentou: "CSW apela ao governo cubano para garantir que a restituição seja feita à família pelos danos causados à sua casa, pelos acusadores que agora estão desacreditados. Eles estão autorizados a regressar à sua casa com a garantia completa de proteção que são direito deles como cidadãos cubanos.”

CSW é uma organização de direitos humanos que trabalha em prol dos perseguidos por suas crenças cristãs e promove a liberdade religiosa para todos.

Fonte: CPADNEWS

Dicas de Filmes Evengélicos.

GOSPEL JOVENS DICAS DE FILMES

Notícias em Tempo Real!

GOSPEL JOVENS